Cinema para Zelito Viana é tão importante quanto respirar. Produzindo e dirigindo há quase três décadas, marcou sua presença no cinema nacional com filmes como Terra em Transe, de Glauber Rocha, e Cabra marcado para morrer, de Eduardo Coutinho. Depois de dirigir seu último filme há 15 anos – Avaeté, a Semente da Vingança – hoje ele está realizando um sonho, que é levar as telas a vida do renomado compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos.

Com produção luxuosa e figurinos de época, o filme é um veículo para as obras musicais de Villa-Lobos. O papel principal é dividido entre o garoto André Ricardo, Marcos Palmeiras, filho do cineasta, e Antônio Fagundes. O elenco conta ainda com Letícia Spiller, Ana Beatriz Nogueira, José Wilker, Marieta Severo e Othon Bastos.

Villa-Lobos, que levou uma vida excêntrica no Brasil e na Europa, não é um nome conhecido pelos jovens brasileiros. Algo que Zelito pretende mudar quando seu filme Villa-Lobos: Uma vida de Paixão estrear, em circuito nacional, em 21 de abril, durante a comemoração dos 500 anos do Descobrimento do Brasil.

Zelito recebeu em Los Angeles, Estados Unidos, um grupo de 50 pessoas para uma primeira exibição especial de Villa-Lobos.

Entre os convidados, estavam a equipe do filme e compositores como Dori Caymmi e David Raksin, criador do famoso tema do filme Laura, que parecia abismado ao sair da sala de projeção. "Foi uma experiência indescritível. Conheci pessoalmente o Villa-Lobos, e ele era assim mesmo,"conta Raksin.